Imáculo virtual

Ele sonhava encontrar o grande amor de sua vida. Não para menos, já aos vinte e poucos anos de idade, sem qualquer história recente, os desejos que lhe vinham superavam a solidão existencial: demandava prazer. Agir era, portanto, necessidade. Pesavam-lhe, além disso, sua estranha construção libidinosa e, talvez o que mais lhe massacrava, o próprio falo, imaculado e incapaz de assumir posição de poder perante um mundo machista.

Cansado dessa condição, resolveu aventurar-se por lugares nunca dantes navegados.

Descobriu novos rostos, viu novas pessoas, começou novas amizades. Percebia que havia outros com gosto parecido ao seu. Passou, assim, a sentir-se menos sozinho, até mais aceito. Quando, então, de tantos rostos pelos quais passou, como em uma vitrine, encontrou alguém que lhe encaixava perfeitamente os interesses, encheu o peito e tomou a atitude mais corajosa de toda a sua vida até aquele instante: “oi, posso te adicionar?”.

Anúncios

Sobre Guilherme Zocchio

Jornalista.
Esse post foi publicado em Crônicas e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Imáculo virtual

  1. Vany disse:

    Que texto absolutamente atual… Muito bom mesmo, conteúdo e forma. Parabéns!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s