Nomeado Poeta

Pela primeira vez será diferente
Ao deitar não vou mais à coberta quente
Frio, em rimas e versos entregar-me-ei,
Pois ser poeta a partir de agora é minha lei.

Vou rimar, versejar o que vier à mente,
Já que é apenas o que me há simpesmente.
Hoje, não tenho musa; amanhã terei.
Por ora basta. Sozinho rimarei

Poesia de sonhos, de amores de repente
Com personagens e tema recorrente.
Por Carlos, Chico e Vinícius ajudado,

Surdo, ao reino das palavras viajarei.
E ainda por lá pretendo encontrar o rei
Para que como poeta eu seja nomeado.

(escrito a 17 de agosto de 2009)

Anúncios

Sobre Guilherme Zocchio

Jornalista.
Esse post foi publicado em Versos e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s