Previsão erra passagem de tormenta em SP nesta sexta; ou uma sátira da violência policial

A previsão do tempo errou na tarde desta sexta-feira, 9, em São Paulo (SP). Apesar da expectativa de que o forte calor não provocaria as pancadas de chuva dos últimos dias, nenhum instituto metereológico anteveio o que aconteceria. Choveu pra caralho. Horrores de bombas de efeito moral, gás lacrimogênio e balas de borracha foram precipitadas na região central da cidade durante o fim de tarde. Ao menos 10 mil vítimas foram atingidas pela tempestade, provocada pela Polícia Militar do Estado (PM-SP).

O governador do Estado, Geraldo Alckmin (PSDB), minimizou o ocorrido e afirmou que a culpa da catástrofe é do contribuinte do transporte público paulistano que não se vê disposto a pagar uma tarifa de R$3,50. O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), declarou em nota concordar em gênero, número e grau com o tucano. Ambos também salientaram que a PM-SP agiu na perfeita conformidade legal, já que o próprio governador vetou, recentemente, a restrição ao uso de armamento menos letal —como balas de borracha— pela polícia.

Ao menos 51 pessoas foram detidas. Segundo a PM-SP, eles tentaram se abrigar da chuva em agências bancárias e lojas na região. Após as pancadas, alguns dos detidos, desorientados pelas bombas, cobertos pelo gás e feridos pela contusão do armamento policial, revidaram depredando os prédios dos locais onde não lhes foi oferecida proteção.

Responsável por convocar os 10 mil atingidos pela tempestade, o Movimento Passe Livre (MPL) sinalizou que não vai se intimidar com as precipitações da temporada de caça à liberdade de manifestação em São Paulo. Os membros do MPL convocaram para a próxima sexta-feira (16) um novo protesto contra o aumento da tarifa do transporte público. De acordo com a metereologia, pode ocorrer um dilúvio no fim da semana que vem —tudo depende de como o poder público vai reagir à situação.

(Este texto é um sátira. Qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência)

Anúncios

Sobre Guilherme Zocchio

Jornalista.
Esse post foi publicado em Crônicas e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s