Arquivo da categoria: Ensaios

Como vai seu coração?

what matters most is / how well you / walk through the / fire. — Charles Bukowski no decurso dos meus piores dias nos bancos das praças nos cárceres ou vivendo com putas eu sempre tive este certo contentamento — … Continuar lendo

Publicado em Ensaios, Versos | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

mercurial inferno

entre os maiores mistérios que sonha nossa vã filosofia, alguém há de explicar do que se trata o mercurial inferno astrológico de um geminiano. próximo ao dia do nome deste autor, palavras se embaralham na tela do computador, ao mesmo … Continuar lendo

Publicado em Ensaios | Marcado com , , , , , , , , | Deixe um comentário

(sem título)

. Esta história acabou. E, constatado isso, começo por um ponto final. Inicio por onde um texto deveria terminar, escrevo um prelúdio que, a princípio, pode soar como paradoxo. Não o é, contudo. As mesmas palavras, o mesmo aforismo, com … Continuar lendo

Publicado em Crônicas, Ensaios | Marcado com , , , , , , , | Deixe um comentário

O legado do nome de Umberto Eco

“Like the pine trees lining the winding roads / I’ve got a name, I’ve got a name / Like a singin’ bird and a croakin’ toad / I’ve got a name, I’ve got a name” (‘I Got a Name’, Jim … Continuar lendo

Publicado em Crônicas, Ensaios | Marcado com , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Eu-bicho: ainda é carnaval

As calçadas não comportam Pés Que tanto tumultuam Paredes Que se transformam A metrópole quer um homem de bem Algo cidadão Quando eu sou. Ou não sou? Quando eu desejo Encontrar O lobo Que me devém Uivar Correr por estas … Continuar lendo

Publicado em Ensaios, Versos | Marcado com , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

A demasiada humana sensação de dor

Há um sentimento humano, demasiado humano, do qual se esquece em toda a profusão de análises sobre os dias de hoje. Trata-se da dor, fisiológica e primitiva em suas causas, em seus efeitos. Tão simples, porém, creio que nunca antes … Continuar lendo

Publicado em Crônicas, Ensaios | Marcado com , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Um pouco

Nem mesmo o gritante rangido dos freios do ônibus na rua tira-me de meus pensamentos. Aguardo, no ponto, pela minha condução. …a vida continua depois de uma reunião de mais um dia no trabalho seguido de outra longa caminhada pela … Continuar lendo

Publicado em Crônicas, Ensaios | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário